domingo, 23 de março de 2008

Deus, Universo, Religião e Eu.



Qualquer deboche a fé de outras pessoas é leviano e pode ser comparado ao deboche que os homossexuais sofrem constantemente. Fé é algo muito pessoal, é uma opinião que a pessoa nutri a respeito de algo. E tudo a esse respeito é questão de fé. Até um ateu tem fé, tem fé que Deus não existe.

Num passado recente, não mais que dois anos, eu tinha religião. Eu era católico romano praticante e fervoroso. Mas foi dentro da própria instituição, como “leigo”, fiel, ovelha a ser conduzida, e nas duas maiores comunidades que congrega participantes dela no Orkut.com que eu comecei a questionar a religião e o Deus que ela se apoderou e disputa com outras a posse. Esse Deus é todo sistemático, cheio de detalhes, exigências, critérios, regrinhas, conceitos.

Desde criança sempre questionei se Deus existia, mas quando me lembrava do pecado que era pensar isso eu desistia, ainda mais por ter medo de ir para o inferno. Mas um dia chutei o pau da barraca e pensei que pelo menos para mim religião é algo totalmente inútil. Elas formatam Deus de um modo e depois modifica, perde perdão a humanidade pelas atrocidades que fazem e andam fazendo e aceitam a ciência que não tem outra base argumentativa a não ser a questionável, para elas, realidade.

Eu nunca tive uma experiência com Deus. Senti-lo, ouvi-lo, vê-lo, enfim nunca aconteceu comigo. E das pessoas que eu conheço e diz nele acreditar nenhuma também teve uma experiência nesses modos, sendo que para elas o simples acaso, uma série de acontecimentos programados individualmente pelas pessoas conhecidentemente, já são uma prova factual da existência de Deus e sua bondade. Quem eu já ouvi falar que teve as experiências mais marcantes com Ele, na maioria das vezes viveu em tempos de ciência limitado, superstições elevadas, em alta e truculência e foram essas pessoas que formataram Deus do jeito que esta colocado a mim.

Um dia fui ao planetário da Universidade onde pegava aulas de astronomia, matéria obrigatória no meu curso. O professor explicava que na ciência quando uma tese não pode ser provada, na ausência de outra que foi provada, ela é utilizada como referência por ser a mais aceitável. Mas a qualquer instante, quando houver outra mais aceitável ou provada ela é substituída. Impressiona-me a humildade que, nas palavras da religião a arrogante ciência tem. A humilde religião quando possui uma tese pouco importa se ela é plausível ou não, a tese fica determinando tudo e tudo a ela deve seguir, e o crime é questioná-la. Pode ser que a Igreja além de Santa seja humana e, portanto errante. Mas não precisa d’eu me empenhar por uma instituição a mim inútil, que ignora até mesmo o factualismo da ciência que não merece crédito por isolar-se do Deus que ninguém nunca viu e basear apenas na realidade, que ignora a ética, preocupada com o bem-estar de alguém resguardando o do outro, ao impor obstáculos as células-troncos e a eutanásia.

Eu não acredito mais em religiões e nem o Deus delas. Na verdade não sei se Deus existe e se ele vai se irritar comigo por eu ser promiscuo, coisa que eu não sou.


Deus? Nessas aulas o professor dizia, embora ainda não fosse provado, existem fortes bases que levam a aceitar a idéia de que o universo possui 15 Bilhões de anos luzes de diâmetro. Que a luz percorre 300.000 km/s. A Terra tem 40.000 quilômetros de diâmetro. Que ela equivale à milésima parte de Júpiter e que o Sol, uma estrela de quinta grandeza, tem 99% da massa do sistema solar. Também o Sol tem 5 bilhões de anos dos 10 bilhões que viverá além de ficar numas beiradas da Via Láctea. Em seu núcleo e em seus espirais estão bilhões de outras estrelas, 100 a 1000 vezes maiores do que o Sol em muitos casos. A Via Láctea deve ter seus 150 milhões de anos de diâmetro, quase dois trilhões de vezes a massa do Sol. Tem como vizinha Andrômeda, que fica há alguns milhões de anos luzes de distância. Ambas estão em um aglomerado de galáxias juntamente com outros milhares de galáxias. Os aglomerados com centenas de outros aglomerados formam os grandes aglomerados. E nos 15 bilhões de diâmetro desse universo achatado existem outros milhões de grandes aglomerados.

Tudo o que é visível no universo equivale 15% da matéria total sendo que o restante é desconhecido ao homem. Como se não bastasse, a humanidade, constituída por 6.5 Bilhões de pessoas, olha só! Finalmente a humanidade consegue grandes números além dos de impacto ambiental, desigualdade, mortes e ganância; sabe muito pouco, infinitamente muito pouco de todo o conhecimento que é possível extrair do universo. Mais impressionante é que toda essa matéria foi no passado apenas uma ponta infinitamente menor do que a cabeça de um alfinete, infinitamente quente e infinitamente densa constituída da mesma coisa, energia. Simplesmente energia. Um dia tudo isso explodiu, o tempo e o espaço foram surgiram, eles não existiam. E nos primeiros milésimos de segundos a maior parte da matéria que existe hoje foi formada a partir daquela energia toda.

Todos os elementos químicos que me formam, sobretudo o carbono são oriundos das reações químicas das estrelas. Sobretudo das gigantes vermelhas. Tudo o que vejo e somos é pó de estrela. Os crentes me disseram que sou a imagem e a semelhança de Deus e que Deus é a energia que criou o universo, que fez a mulher para o homem, que não gosta de promiscuidade e lá no antigo testamento condenou a homossexualidade, aprovou a escravidão, entre outras coisas que a inquestionável ciência de Deus permitiu. Se no começo tudo era energia, a energia formou a matéria da qual me formo. Logo eu sou Deus, todos os homens são Deus, e todos os problemas da humanidade não tem outra origem se não no próprio coração do homem.

Então pouco importa se eu tenho 1,67m de altura, 65 kg, espero com muito custo chegar aos 80 anos de idade lúcido e sadio e vivo em meio a 6,5 Bilhões de outras pessoas em meio a essa quantidade de números astronômico inimagináveis. Eu sou Deus! O senhor da minha vida, a minha maior prisão e o meu maior herói. A quem tudo depende. Sou dono e caçador de mim. O meu corpo é templo de Deus, o meu corpo é totalmente meu. Nunca estarei errado quando amar uma pessoa independente de como ela seja e eu sou, ela também é Deus. Quando eu respeita-la estarei respeitando a e amando a mim também. Nunca mais me sentirei culpado, sujo, imundo, pecador por amar homens.

3 comentários:

Rod Maciel disse...

É o q vc falou mesmo no início da postagem, as experiências com Deus são muito pessoais. Eu aprendi a acreditar em Deus, mas hj eu tenho autonomia suficiente para continuar na religião ou não, e decido continuar. É lógico q a minha fé não é cega ou tapada, mesmo pq a Igreja Católica não é lá muito "moderna". O q sei é q a idéia de Deus me conforta muito, muito mesmo... e o Deus q acredito não é esse Deus rancoroso, impiedoso ou mal, como muitos preferem. Se foi coincidência ou não, não sei, mas posso dizer q já senti a presença de Deus através de algumas coisas q me aconteceram. Um dia te conto!

Abraço! Q bom q voltou ao blog! :-)

gguimaraes disse...

Muito boa a postagem! Tratou muito bem do assunto.

Ps. e ganhou mais um leitor!

thiago disse...

Parabéns pelo post!
Muito bem escrito, uma pena ser tão sem embasamento.
Até aceito sua falta de crença num Deus vivo que fez a Terra e tudo que nela existe, mas o que mais me intriga, é como você pode acreditar em tudo que os cientistas dizem, coisas do tipo... "de que o universo possui 15 Bilhões de anos luzes de diâmetro. Que a luz percorre 300.000 km/s. A Terra tem 40.000 quilômetros de diâmetro. Que ela equivale à milésima parte de Júpiter e que o Sol, uma estrela de quinta grandeza, tem 99% da massa do sistema solar. Também o Sol tem 5 bilhões de anos dos 10 bilhões que viverá além de ficar numas beiradas da Via Láctea. Em seu núcleo e em seus espirais estão bilhões de outras estrelas, 100 a 1000 vezes maiores do que o Sol em muitos casos. A Via Láctea deve ter seus 150 milhões de anos de diâmetro, quase dois trilhões de vezes a massa do Sol. Tem como vizinha Andrômeda, que fica há alguns milhões de anos luzes de distância. Ambas estão em um aglomerado de galáxias juntamente com outros milhares de galáxias." etc.. e não crer em histórias reais que a Biblia que é a palavra de Deus nos traz. Se você conhecesse um pouco sobre a história da igreja saberia de muitas coisas que fundamentam os princípios da doutrina cristã e rebate seus argumentos, se interessar, leia alguma obra de Flario Josefo, e vai entender de onde provém nossos fundamentos cristãos e as bases que nos levam a crer na Bíblia.
E quanto ao silogismo:
"Se no começo tudo era energia, a energia formou a matéria da qual me formo. Logo eu sou Deus, todos os homens são Deus, e todos os problemas da humanidade não tem outra origem se não no próprio coração do homem."... não pude deixar de achar um tanto engraçado, como acho de todos que vejo por ai...

Abraço Wellington