segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Da Matriarca II

Eu não tenho paciência com a minha mãe. Por isso quando ela se aproxima de mim eu já fico irritadiço. 

Eu não gosto do jeito como ela fala. Não gosto das expressões cunhadas por ela que são excessivamente genéricas, figurativas e mal formuladas. 

Não gosto da forma como expõe seus desejos, lida com as suas frustações e lida com os nossos pontos de vista e desejos.

Não gosto da incapacidade proveniente do interesse dela de aprender a lidar com as coisas novas. Muito menos de quando ela me chama para colocar o DVD para funcionar sendo que é tão fácil, sendo que eu ensinei tantas vezes,  sendo que ela não esforça.

Não gosto de quando ela faz planos a meu respeito. Principalmente porque meus planos não combinam com os delas.

Não gosto da forma como ela fala de mim, seja bem ou mal, ela sempre exagero e não gosto da forma como ela me compara com as pessoas, aliás, eu não gosto de ser comparado com ninguém.

Não gosto do assuntos assuntos que toca para falar comigo e nem de como pergunta sobre eles.

Um comentário:

Ronei Vieira disse...

Tolerância... só assim é possível cobrar alguma coisa...