domingo, 28 de junho de 2009

Papo Aleatório II

Meu MP4 ressuscitou. Não ressuscitou como eu queria, a tela dele pereceu e a menos que aconteça um milagre ela não voltará a funcionar. Mas pelo menos como um MP3 que necessita da irritante ação de mudar as música manualmente esse aparelho meidi in xaina funciona.

Porcarias eletrônicas me deixa feliz. Amanhã saberei se a garantia ai cobrir o LCD que quebrei acidentalmente da minha câmera ou se terei que pagar com dinheiro do meu bolso.

Minha carteira provisória venceu. Resultado é que fiquei uma semana sem dirigir achando que pagaria multa se andasse com ela vencida. Porém tenho um prazo em que posso andar com ela vencida. No entanto amanhã regularizo minha situação.

Baladas me deixam deprimido. Sim nos últimos minutos tenho ouvido repetidamente De Tanto Amar da Daniela Mercury e Essa Noite Não do Lobão. Músicas que falam de amores doídos, do tipo que eu nunca senti, e cujo cunho seja niilista me deixa bem deprimido. Mas adoro o som do banjo e do acordeom.

Minha mãe não me deixa ser feliz. Às vezes sou taxativo, mas eu preciso do exagero. Minha curte chegar ao quarto e dizer que está velha, doente e cansada que não agüenta mais trabalhar sendo uma indisponibilidade dela para o mercado de trabalho a solução para os problemas dela. Problema é que nisso ela me deixa deprimido, me joga para a fogueira, procura por emprego, e aumenta minha autocobrança, afinal de contas, não quero ver minha mãe triste.

Well responde a comentários deixados no blog. Sim, olhe abaixo e comprove minha tese.



André Luiz: Sobre a demissão de Diogo Mainardi, a informação provém de um outro blog e de caráter governista: http://blogdoonipresente.blogspot.com/
Se a informação que o tal blog postar for errada, peço desculpa por ter me equivocado e lamento ela não ser verdadeira, vaso ruim não quebra.

Eu chamei de retrógados os leitores de Diogo Mainardi e Reinaldo de Azevedo. Pode ser que você não concorde que esse último homem não seja homofóbico e reconheço que por ventura ele não seja, mas no mínimo preconceituoso ele é, quiçá mal intencionado. Vejo que o preconceito se manifesta na forma tendenciosa escolhida por ele para se referir aos fatos, como por exemplo baseando-se em meias verdades ou reportando apenas uma opinião sobre os mesmo. Além disso não vejo como de muita valia o que ele diz, pois uma coisa é a fala, outra é ao quê as condutas deles remetem.

Respeito você e seu apreço pela revista Veja, mas não me peça para concordar com você. De modo geral não acho a abordagem dela sobre política ética, muito menos melhor do que a da Carta Capital.

Por fim, agradeço seus comentários e peço que caso discorde do que escrevo aqui sobre isso manifeste via MSN. Um debate político ideológico no meu blog torná-lo-ia enfadonho e seria a mim cansativo fazê-lo.

2 comentários:

Guy Franco disse...

Tenho um Diogo Mainardi em casa. Ele apareceu não tem um ano. No começo a gente só fazia carinho na cabeça dele, nem deixávamos entrar. Mas depois ele começou a aparecer todos os dias. Sabe como é. Começamos a alimentá-lo e ele não sai mais daqui, agora. Claro, passamos a alimentá-lo, fizemos uma caminha, levamos para tomar vacina, essas coisas.

Dr. Cohen disse...

Apesar de psicólogo de RH te irritar, vim aqui agradecer a visitinha hehe

Desculpa, mas eu sou um daqueles chatos que aplica dinâmica de grupo e pede para os candidatos falarem deles mesmos AUHuha

Eu consigo ser ainda mais irritante: quando eu faço tudo isso em inglês. They just hate it!