terça-feira, 14 de julho de 2009

Papo Aleatório III

A história das coisas é um vídeo gerado nos EUA e fala a respeito de como os bens de consumo são produzidos explicando os processos que não são divulgados pelas grandes empresas, principalmente os processos políticos, sociais e ambientais. O enredo do vídeo é holístico e acho interessante postá-lo aqui. Creio que vídeos como esse são necessários nas escolas, nas reuniões de grupo e tudo mais, pois colaboram para a construção de um mundo melhor.



Eu adoro o visual do meu blog. Adoro o fundo branco do meu blog, dá uma sensação de que ele é um eterno livro e que eu sou o autor que pode escrever tudo o que quiser nele. Além do visual limpo, funcional e por isso bonito adoro essa foto aí do título. Tirei em uma ponte sobre o lago da UHE Itumbiara, divisa entre Goiás e Minas Gerais.

Vou mudar o led do meu blog. No último post, o primo que também é do babado, um novo visitante, o Sex and City Tupiniquim, comentou que escrevi algo corriqueiro, comum, o que fez com que ele se sentisse um protagonista da história. Gostei muito do comentário pois ele vai de encontro ao que quero nesse blog, falar da minha nada tão diferente vida a todos vocês. Logo, eis o novo led do blog:

SEMPRE AVANTE NO NADA INFINITO: O interessante nas particularidades comuns da minha vida.

Sei lá se o novo led ficou chique de Paris como diria um amigo meu do MSN. Nem sei se está rigorosamente ligado ao que escrevo ou pretendo escrever aqui. Mas é algo que tenho vontade que seja, pois falo com propriedade a respeito da minha vida comum e interessante a quem desejar.

Estou pensando no crente que me pegou pelo braço no último final de semana. No último sábado teve uma festinha de aniversário para o filho da minha prima. A festa era chata e eu achei mais interessante ficar do lado de fora com o resto da turma olhando o arraial evangélico que estava rolando. Logo comecei a interagir com os “irmãos” e minha amiga, que por sinal era da Igreja mandou que me prendessem.

Foi ótimo, chegaram por trás, seguraram no braço e foram me puxando para dentro da Igreja. Bem que poderia ela estar vazia, seria uma grande fantasia sexual transar com os crentezinhos dentro de uma Igreja vazia, o que não era o caso. Pressentindo que meu pinto já tava ficando duro, paguei a polícia do Arraiá de Judá R$0,50 para me libertar.

O ocorrido no final de semana, somado aos pensamentos que me dominam a mente quando ando de ônibus comprova a minha carência homoafetiva.

Hoje pensei em ficar encarado os viadinhos que freqüentam um “shopping” do centro da cidade. Muitos deles eram gatinhos, bonitinos, gostosinhos e olhavam para mim. Bas fiquei como sempre envergonhado e tive medo de olhar para eles e ter a confirmação, de fato eles estavam olhando para mim. Pobre grosseiro pseudoetero eu sou.

2 comentários:

Dr. Cohen disse...

Carênica homoafetiva é foda rs Sei bem o significado desse termo kkkk

Desculpa a ausência. Thanx por me seguir. Preciso atualizar a minha lista de favoritos.

Ótimo fds!

Mystica disse...

Aaah Well!! Se eles eram gatcheenhos, devia ter tentado alguma coisa :~ dizer um 'oi', sei lá!

Tá, eu sei que não sou a melhor pessoa pra falar isso, mas é sempre bom a gente ter uma pitada de ousadia. Podia ser uma oportunidade de sair da carência homoafetiva (eu tb sei muito bem o que é isso --')

Abraços, querido!! Um ótimo sábado pra ti.