quinta-feira, 22 de agosto de 2013

As vozes das cantoras

Quando se trata dos meus gostos musicais as melhores vozes são as femininas. Só as mulheres transmitem tão bem o que pode ser a alma, a essência, a intenção de uma música. Muitas vozes se assemelham, porém outras se destacam tornando mais do que uma marca registrada da cantora, tornando tal voz a razão de uma vontade repentina de ouvir uma música e só ela, a voz em especial, a suficiente para suprir a carência que se tem de ouvir a determinada canção. As vozes das cantoras são tão importantes, pois independente dos compositores e de os seus estilos, elas são capazes de oferecer um estilo próprio a todo um universo de músicas, ainda que diferente naqueles critérios citados anteriormente e tão importantes.

Sendo assim, existem cantoras que in/felizmente são insubstituíveis. Histérica, elegante sim, mas histérica, como Dalva Oliveira ninguém mais. Que Será traduz o que digo. Pessimista, abandonada, Maysa Matarazzo. Doce e divertida como um algodão doce, só Fernanda Takai. Doce, mas séria como uma caixa de bombons de licor, Adriana Calcanhotto. Doce e subversiva, Clara Nunes. Forte, confiante e indiferente, Ana Carolina. Vozes que por aí vão.

Mas quero mesmo falar de Paula Fernandes e pouco me importa se para muita gente é uma profanação colocá-la junto com nomes do porte mencionado assim. Pouco me importa porque sou eu quem acha arrogante, limitado e inculto limitar a qualidade de um artista em função de seu estilo musical, que nem é uma blasfêmia quanto um funk ou o tal do arrocha, que fala mais de carro do que a Revista Quatro Rodas. Inclusive, muitos dos que cospem no chão após pronunciar Paula Fernandes pensa que arrocha e o estilo dela são exatamente iguais. Sim, ela canta sertanejo, mas é diferente de cantar arrocha. Sem contar que os críticam o sertanejo em si o fazem por modismo, uma vez que uma auto denominada elite cultural o despreza. Elite que vez ou outra diz gostar e fazer música sertaneja, embora muito diferente do que se viu surgir no Brasil a partir da década de 1940 e tem evoluído ao longo dos anos para o que se conhece e se tem hoje. Essas pessoas ignoram contexto cultural e desconhecem causa e efeito de um estilo musical, apenas acham seus gostos musicais absolutos por de fato ser bom, embora não seja o único.

Enfim, chega de racionalizações e voltemos as vozes, no entanto da Paula Fernandes neste  caso em específico. Paula Fernandes também tem a voz forte e que se impõe, porém sem invadir, sem agredir e sem arrogância. É a voz do dia quente de verão que é vencido por uma tempestade suave, sem ventania que chega  e dura toda a noite. Enfim, um ode à Paula Fernandes!

5 comentários:

FOXX disse...

bem, eu a critico por causa da qualidade dela como artista, ela como voz realmente é uma voz linda, mas como artista, isto é, como ela usa a voz, ela é uma porcaria, ela canta mal, a forma como ela canta, entende? não me importa que tipo de música ela canta, mas por exemplo, Anitta canta funk, mas canta mil vezes melhor do que a Paula Fernandes.

Wellington Gabriel de Borba disse...

Canta mal, como assim?

Wellington Gabriel de Borba disse...

Canta mal, como assim?

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

sou radical mesmo querido ... talvez até preconceituoso tb ... mas funk, sertanejo [brega ou o tal universitário ou sei lá o q mais], pagode, axé e outras coisitas do gênero eu DETESTO ... costumam até me provocar náuseas ...

P disse...

Se você ainda não se assumiu e quer compartilhar experiencias com outras pessoas na mesma situação conheça meu blog:

http://seassumirounao.blogspot.com.br/