domingo, 20 de setembro de 2009

Fatos e fantasias

O que é fato é que eu fui a parada gay e gostei de ter ido. É também fato que eu beijei na boca e gostei de ter beijado na boca. Também não deixa de ser fato que eu gostei de ter matado aula naquele agradável dia de chuva para ficar com ele outra vez, mesmo que isso me custasse uma avaliação em sala e mentiras sujeitas a serem desmacaradas.

O que é fantasia é que eu não me sinto sentimentalmente atraído. É fantasia que um eu te amo que por ventura possa ser dito da minha parte agora é verdadeiro. Também é fantasia que eu não me sinto pressionado e que estou satisfeito com a discussão de relação que tivemos ontem.

Combinamos deixar rolar, enquanto deixavamos rolar ele se antecipou, disse que me amava e disse a alguns que já “firmamos”. Não tenho raiva disso, mas isso me faz sentir pressionado e de certa forma me faz pensar que eu não estou tendo controle.

Pedi mais um tempo, não quero magoar ninguém. Disse que acho duas semanas, que se completam hoje, tempo insuficiente para firmamos um compromisso. Ele entendeu, pediu desculpas – embora não fosse uma questão de pedir desculpas porque eu não me ofendi com nada.

Mesmo assim não fiquei satisfeito, pedi para ele esperar um pronunciamento sobre um sim ou um não, o quê seria algo egoísta da minha parte, aliás, até agora está sendo. Ele não tem o mesmo tempo, ou interesse em utilizar esse tempo se o tiver, esperando por algo que eu não posso prover a ele, uma relação.

Então é melhor parar, ficar só na amizade porque não dá certo. Combinamos deixar rolar por mais um tempo e ainda hoje ele me pergunta se pode sair com uma das pessoas que eu conheci na parada e que é amigo dele há muito mais tempo do que ele me conhece, sem contar os sms lá com seus Eu Te Amo e me tratando como Amor.

Ou seja, me sinto pressionado com isso tudo e é então melhor deixar o caminho livre para ele. Não tenho atração afetiva por ele agora e não boto fé que terei um dia e dessa fez devo confiar nas minhas emoções. Namoro é para se conhecer e ver se gosta, mas se namora quando tem alguma coisa atraíndo e essa coisa deve ser lá uma paixão, um afeto mesmo que mínimo e que não tenho.

Sendo assim vou ser transparente, vou esperar que ele chegue em casa e dizer o que eu sinto, ou não sinto, para que eu me agarre só ao que eu quero. Não quero posar de super herói e nem ter o que não está sendo interessante para mim, uma relação.

Então fica melhor assim e não magoar ninguém.

3 comentários:

Paulo Braccini disse...

perfeito ... muito lúcido ... e a vida continua ... seu momento e seu caminho estão por serem vislumbrados e descobertos ...

bjux

;-)

Mauri Boffil disse...

assim e melhor... ninguem se machuca

Mystica disse...

Pelo menos fica a experiência... tb acho que foi melhor assim.