quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Papo Aleatório VII – Um dia de calor

Agora está um céu limpo e claro lá fora. Claro não por muito tempo, está anoitecendo, é quase 18:00 horas. Apesar de estar limpo e anoitecendo faz calor e eu estou suando e sem camisa.

Ficar sem camisa é algo chato, não gosto. Meu corpo é unsexy na minha humilde opinião e estou pigando de suor em bicas enquanto deve estar fazendo aí uns 36° C. Além disso ficar sem camisa me faz sentir nu e é como se eu tivesse mais desprotegido e sujeito a julgamentos.

Se bem que ultimamente não estou me preocupando tanto com os julgamentos. Fui a parada gay e nem me preocupei com julgamentos, seja os que poderiam se fazer de mim, como os que eu pudesse fazer a respeito dos outros.

Foi bom, conheci mais pessoas, conheci mais o mundo e voltei mais leve. A parada gay não foi apenas uma diversão, foi um aprendizado também e um escancaramento de novas oportunidades.

Daí que outra vez cá estou eu escrevendo sobre as oportunidades que não estou agarrando. Dessa vez, como em várias outras, o ceticismo. Fico aqui achando que as coisas tem tudo para não dar certo comigo, e o pior, muitas vezes acontece.

Agora existem mais pessoas lá no Orkut social, o fake está um tédio e não sei porque ainda não apaguei. As pessoas deram um ânimo novo para abrir aquela coisa lá. O melhor foi uma pessoa em especial que dá para chegar mais e explorar o corpo dela sem constrangimento maiores.

Parece que estou a vontade, mas não estou. Prometemos um ao outro deixarmos rolarmos, ver no que vai dar. Tudo bem, mas daí que nem tem duas semanas e o cara já está me dizendo que me ama.

Isso é para mim constrangedor. Primeiro porque eu não me apego ao que dizem os poetas sobre o amor, não acho amor algo incondicional em todas vezes, mas algo que é construído e no nosso caso não deu tempo de construir isso.

Além disso Eu te amo não é saudação ao chegar, ao sair e nem vírgula, assim como enter também não é. Eu te amo é uma confissão de um sentimento que se nutre. Daí que eu não sinto esse sentimento.

Eu gosto dele sim, eu sei. Não sei se é como amigo. Acontece que para mim as coisas não são simplesmente dizer que são e elas se tornam. As coisas são construídas e leva, muito ou pouco, tempo.

Não quero magoá-lo, aliás, agora magoar é tudo que eu não quero fazer a ele. Mas quero deixar claro, sem querer ser sofista, sem querer ser idealista, sem querer ser chato, sem querer ser brochante dizer que eu não amo ele, embora eu ache que deva dar certo nossa relação.

Mas enfim, outra vez vou confiar no tempo e esperar o contexto para tal. Assim quem sabe as coisas deem certo.

E outra vez enfim, Deus sabe o que faz [/Irmã Selma] e rezar é uma ótima forma de achar que se está ajudando [/@OCriador]. Por isso não rezo e nem acredito em Deus.

P.S.: Como estou atrasado perdoem-me pelos erros de ortografia, gramática e concordância acima da média. E olha que agora num é nem preguiça de revisar o que escrevi, é que estou atrasado mesmo.

7 comentários:

Paulo R. F. Braccini disse...

Querido Wel ... nem vou comentar pois o que vc disse é perfeito e lúcido ...

"Primeiro porque eu não me apego ao que dizem os poetas sobre o amor, não acho amor algo incondicional em todas vezes, mas algo que é construído e no nosso caso não deu tempo de construir isso.

Além disso Eu te amo não é saudação ao chegar, ao sair e nem vírgula, assim como enter também não é. Eu te amo é uma confissão de um sentimento que se nutre. Daí que eu não sinto esse sentimento.

Eu gosto dele sim, eu sei. Não sei se é como amigo. Acontece que para mim as coisas não são simplesmente dizer que são e elas se tornam. As coisas são construídas e leva, muito ou pouco, tempo."

Vc se define com exatidão:
"Um jovem inexperiente, mas que aprende muito."

bjux

;-)

d-fusion disse...

Arrazou no blog..luxo pra vc sempre...abraços

Mauri Boffil disse...

Ele tá é querendo correr.
Na verdade, acho que ele quer firmar terreno (eu já fiz algo semelhante), agora o cruel é como dizer a ele que a relação de vocês pode dar certo sem dizer que você o ama...

james penido disse...

Parabéns pelo blog.Voltarei mais vezes.gostei daqui.
Um abraço.

Mystica disse...

Eu concordo contigo e sou muito chata e cética com relação a pessoas que se apressam pra dizer um "eu te amo". Das duas uma: ou ele é muito carente e não tem uma noção do que significa amar alguém, ou ele tá dizendo isso pra posar de fofinho, e sabe-se lá o que pode acontecer depois.
Enfim, o ideal seria vocês dois se curtirem e tal, e deixarem as coisas fluirem normalmente, sem essa pressa romântica/utópica/seja lá o que for.

Beijão pra ti =*

Gato de Cheshire disse...

Tenho um medo dessa objetividade matemática que vc usa no seu tratar, isso funciona muito bem pra blog, ajuda, é claro... Muito bom... mas sei que vc faria esse discurso com o menino com a objetividade de quem resolve uma equação....
Essa coisa do "eu te amo" é realmente seria, mas n coloquemos regras... Tem gente que sente a vontade ne um dia, outras num mes, tantas outras num ano, algumas parecem nunca sentir e isso n diminui nem desqualifica o gesto..... Tenho um amigo que ouviu isso com dois meses de namoro e disse na lata: N gostei de ouvir isso n, esse n é meu tempo (como se o outro tivesse de andar no tempo dele).... Já te disse... Deixa rolar.... Qdo alguem diz "eu te amo" e ouve um "obrigado", ela sabe o que está acontecendo e onde está pisando (pelo menos deveria saber)... N seja tão severo consigo mesmo....

Gato de Cheshire disse...

PS. Acho engraçado seu jeito pessimista parece a ravena dos jovens titãs... Ou a ofelia daquele desenho da menina chinesa... rsssss