quarta-feira, 16 de junho de 2010

Presidenciáveis e seus lápis coloridos (ou não)

Ultimamente uma cobrança maior tem ocorrido em cima de Marina Silva, querem dela um posicionamento a respeito de temas polemicos que esbarram nas concepções religiosas dela e de eleitorados muitos significativos, o religioso, o conservador, o que segue sofismos e frases feitas e de efeitos, o que é um pouco de cada dos anteriores. Eleitorados que certamente boa parte irá com Marina. De certa maneira acho injusto exigir apenas de Marina Silva um posicionamento. Vejo que é necessário cobrar de forma aberta um posicionamento de todos presidenciáveis, desde os mais “incipientes” até a Dilma e o Serra, que são os mais citados.

Bem, Dilma Rousseff é pró cidadania LGBT, que há quem diz que seja vitimismo por parte de nós. Históricamente é o partido dela um dos que tem apresentado projetos e feito políticas nas diferentes esferas do poder e da administração favoráveis a esse grupo da população. No Governo Lula houve avanços, talvez não os suficientes, mas eu não deixo de considerá-los avanços cujo Governo mostrou compromentimento para realizar. Como Dilma Rousseff se apresenta como candidata da continuidade, tenho a noção de que os avanços continuem e até caminhem mais rápido.

José Serra também tem se afirmado favorável as políticas que contemplem a população LGBT, mas ele não me convence. O seu partido, o PSDB, e o histórico aliado, o Democratas, abarca muita gente reacionária, tanto é que boa parte dos defensores da “Família” e contrários a Ditadura Gay, que é como os conservadores chamam as evoluções buscadas pelos LGBT’s, estão nesses partidos. Além disso, esses dois partidos ignoram movimentos sociais, inclusive o LGBT', que embora tenha muitos equívocos, sabem melhor do que os heterossexuais, o que precisamos.

Marina Silva como eu disse no primeiro parágrafo, é a mais cobrada. Acho que por estar em um partido com um viés progressista e ao mesmo tempo ser de uma religião cujos fundamentos rejeitam os homossexuais enxergando inclusive como inimigos. Bem, declaradamente eles não dizem isso é claro, mas bem quisto pela  Assembleia de Deus, por Silas Malafaia e que não somos.

Existem outros candidatos, não tão fortes como José Maria Eymael, ex seminarista se não me falha a memória, católico daqueles integralistas, estilo TFP e com ele definitivamente não dá para contar. Existe também Plínio Arruda, José Maria do PSTU, candidatos que até onde sei não são conservadores. Não conheço e talvez até sejam favoráveis aos LGBT’s, mas certeza não tenho. Devem estar mais preocupado em falar do inferno do fogo capitalista, mas nem só de ultramaterialismo histórico dialético vive os LGBT’s.

Existem outros cadidatos, que sequer sei o nome. Tenho preguiça de pesquisar sobre eles, nesses tempos que internet deixa a informação tão acessível. Quando o período eleitoral avançar falo ou não melhor sobre eles.

 

P.S.: Seguro morreu de velho, então caso apareça um desavisado por aqui dizendo que eu não sou imparcial, já deixo o aviso, eu tenho candidato sim, chama Dilma Rousseff, e não gosto nada do José Serra.

5 comentários:

Deni Rogê disse...

Olá Well, este blog é muito interessantes e parabéns por esta postagem sobre o posicionamento dos presidenciáveis ante aos direitos LGBTT.
Concordo com vc em tudo, mas quero ressaltar que a Marina poderia ser mais simpática ao movimento, mas o medo de não receber o voto evangélico a faz distanciar do movimento gay. Acredito que a Marina Silva deva ser uma pessoa bem liberal neste assunto, mas a religião de seus principais eleitores a proíbem de anunciar publicamente sua posição mais simpática.
Com relação a Dilma, ela pertence ao PT que atualmente é o partido que mais abarca grupos e movimentos sociais, e muitos ainda dizem ser um partido de arapongas, mal sabem que o PT de certo é a cara do povo.
Eu sou professor, aqui no estado de São Paulo, e conheço bem o senhor José Serra, que promoveu uma caça a bruxas, só que no caso professores. Serra pode ser um político respeitável, mas o seu partido e a ala DEMoníaca me assusta, pois como vc disse em seu post "são a favor da família e contra ao que alegam ser uma ditadura gay, o projeto PL122.
To com vc tbm, acredito que a Dilma será interessante para quebrar mais um paradigma. Lula já quebrou um, sendo o 1º presidente metalúrgico a não ter um curso universitário e Dilma pode ser a 1ª Presidenta do Brasil.
Excelente blog. Parabéns

Wans disse...

Acho que a cobrança em cima de Marina se deve não à sua religião, e sim por ela mesma ter sido vítima de preconceitos e por aparentemente ser alguém de mente aberta e lutar por uma certa minoria. Mas concordo quando vc diz que o PT já tem lutado pela nossa causa há algum tempo. Pode ter sido pequeno, mas foi alguma coisa.

Thiago Leonardi Chiaremonti disse...

Se você se informar um pouco melhor, vai descobrir que José Serra fez muito mais pela comunidade LGBT que qualquer governo petista na história desse país

http://www.amigosdoserra.com.br/serra-defende-o-direito-a-diversidade/?ctg=brasil

Robert disse...

Well, defender uma candidata a presidente por ela aparentar ser mais simpática aos gays é pensar de forma superficial demais. Ainda que o PT tenha apresentado projetos relevantes à causa GLS, no fundo só aceita os gays que votarem a seu favor.
Se eu votar na Dilma, serei um homossexual com direito de ser tratado sem discriminação.
Os demais? Pro PT, serão bichas mesmo, especialmente se votarem no Serra.
Prefiro um candidato que tenha propostas para o maior número de pessoas possível (sabia que é graças ao Serra, enquanto ministro da Saúde, que hoje temos os genéricos na praça?). E que não queira apenas aparecer com bandeira arco-íris para depois oferecer umas merrecas para as paradas gays e dizer que isso é um grande apoio a uma multidão silenciosa que quer respeito à diversidade sexual sem ter que se expor gratuitamente.
A única certeza nisso tudo é que o embate será renhido e que haverá segundo turno. Ao final, veremos quem rirá. E, depois de quatro anos, veremos qual visão política terá prevalecido.
Reafirmando o que falei, digo que votar em um candidato movido por simpatia é o mesmo que votar num candidato por ele ser bonito ou por ter apertado minha mão ao pedir meu voto. Espero não ser preciso desenhar.

Robert disse...

Outra coisa: espero que seu apoio à Dilma não sirva de pretexto para você não perceber que o Serra está enfrentando uma batalha inglória. Como se não bastasse contar com a máquina do governo, ser apoiada por um Lula que faz gato e sapato da lei eleitoral e contar com pessoas useiras e vezeiras em apontar todo tipo de erro na campanha do Serra e de minimizar todas as derrapadas da Dilma, agora temos um princípio de dossiê anti-Serra e a quebra do sigilo fiscal de Eduardo Jorge, vice-presidente do PSDB. Sem contar que tentam plantar na boca do Serra palavras que ele não disse (já inventaram que ele acabará com o Bolsa-Família e com vários direitos trabalhistas). Quanto à Dilma, conta com vários ventríloquos para que ela tnha o que dizer e com o apoio de pessoas que enxergam nela todo tipo de qualidades só por ser um poste do Lula e pintam Serra como se fosse o capeta no telhado. Mas o que fazer? Nem todo mundo tem disposição ou capacidade para lidar com opiniões divergentes. Por isso encerro esta, pois está ficando enfadonho continuar.

P.S.: Não leve a coisa para o lado pessoal dessa vez. Leio seu blog porque acho interessantes os seus relatos, malgrado a carência de revisão e de organização de algumas ideias. Nada que uma observação mais atenta aos posts antes da publicação (vale até usar a correção ortográfica do Word) e uma diversificação maior de leituras não ajude. Até.