sábado, 2 de outubro de 2010

Revendo os conceitos sobre Marina Silva

Ontem o meu amigo me enviou via Twitter um link para uma entrevista que a Marina Silva deu ao Portal Mix Brasil. Precisei rever meus conceitos sobre a candidata por quem até então eu tinha anti-patia. Marina Silva foi clara e objetiva e disse que terá compromisso com as minorias e com um Estado laico. Em outras palavras, a presidenciável disse que é favorável entre muitas até mesmo ao direito dos homossexuais adotarem criança, simplesmente porque para ela a prioridade é a criança e tirá-la do abandono, e favorável às cirurgias de mudança de sexo. Disse também que não é favorável ao Governo financiar a parada gay, eu também não sou.

O que levou o amigo a enviar o link foi o debate que tivemos no Twitter, logo após o debate presidencial, sobre Marina Silva e Dilma Rousseff. Eu tinha até então, como eu disse, anti-patia pela Marina Silva em virtude da interpretação a respeito das idéias dela em relação às pessoas LGBT'S dadas em maio/junho, que até comentei aqui e muito empolgado diga-se de passagem achando que ela estava sendo necessariamente, por assim dizer, gay friendly.

Bem, nas declarações de maio/junho me incomodou Marina Silva dizer que era favorável a união civil de bens apenas, mas contrária ao casamento por achá-lo um sacramento religioso para homens e mulheres, apesar que no Brasil existe o casamento civil sem vínculo algum com as concepções religiosas que é o que a minha utopia, o Estado laico, deve possuir. Me incomodou também ela dar como sugestão para decidir sobre as questões do público LGBT, que ela demonstrou não conhecer assim tão a fundo naquela ocasião, um plebiscito a exemplo de outros temas como legalização de narcóticos e aborto. Me incomodou porque não se faz plebiscito para que o todo de uma sociedade decida os direitos de uma minoria, que além de ser minoria, é no mínimo não compreendida por essa sociedade.

Criei minha anti-patia por Marina Silva e passei achar ignorância, ingenuidade ou insensibilidade ver homossexuais, como esse amigo que me enviou o link, declarar voto na Marina Silva. Felizmente eu estava errado a respeito dela, que foi a única entre os três primeiros colocados a conceder entrevista para um portal LGBT para falar sobre o devido tema e dar respostas sobre tema de maneira clara e que concorda com o que esse público tanto quer. Declaradamente pró LGBT nessas eleições tivemos apenas o Plínio Arruda/PSOL. Existe também o PSTU e o PCB, mas equivocados ao meu por colocarem questões como homofobia e racismo como problemas causados pelo capitalismo, coisa que me pareceu no mínimo tendenciosa e acima de tudo, mentirosa, veja Cuba.

Estou encantando com Marina Silva e decepcionado com a Dilma Rousseff, que continua sendo a minha candidata. Decepcionado com a Dilma Rousseff em virtude de sua alienação aos grupos religiosos, isto é, ela assinou compromissos e escreveu cartas ao "povo de Deus" se comprometendo a não tomar iniciativa sobre assuntos considerados tabus, deixando ao critério do Congresso. Me irrita porque o PT vem se prostituindo, como os cristãos gostam de falar e classificar tudo, mas se prostituindo com os próprios cristãos e outras porcariínhas como o PMDB.

O que me leva a continuar meu voto na Dilma Rousseff são os seguintes fatores. Primeiro, eu não voto na pessoa e sim no partido e no programa que ele propõe, nesse critério o PT tem um longo histórico com minorias como LGBT's, as vezes dá umas pisadas de bola é verdade e faz menos do que poderia, mas que ele tem esse compromisso e pessoas ligadas a essas causas não é possível negar.

Segundo, não gosto e não confio no PSDB, porque eu tenho como principio votar contra esse partido que é onde certamente onde está a maior parte das pessoas que são contrárias aos LGBT's por motivos diversos ou que simplesmente acham o assunto uma questão menor. Não que o PSDB ou alguém de lá não vá fazer algo pelo público LGBT, mas essas possibilidades são bem menores se comparadas aos partidos ligados aos movimentos sociais.

Terceiro porque um eventual governo de Marina Silva não vai conseguir governar sem alianças políticas e certamente vai precisar de alianças com partidos como o PSDB, que não só não está muito preocupado com os LGBT's - coisas que aliados do PT como PRB e PP também não estão - mas tem outros principios econômicos, sociais e afins que é o principal motivo de minha aversão aos tucanos.

Bem, é isso, mas antes de encerrar preciso ponderar que eu gosto de escrever sobre política, mas sempre que escrevo sobre o tema já imagino uma pessoa em especial que vai comentar aqui. Ela sempre comenta quando escrevo sobre política e apenas sobre isso. Os seus comentários sempre confrontam como que eu penso, o que torna complicado ter alguma simpatia por ela. A pessoa acha que o que me incomoda é alguma inabilidade que eu tenho para receber críticas ou lidar com quem pensa diferente. Mas o problema não é esse, porque se fosse eu teria para com as outras pessoas que pensam diferente de mim a mesma indisposição que tenho para com essa pessoa em questão. Bem, eu não tenho e o Twitter foi um exemplo disso onde eu debati sem me alterar com o amigo marineiro.

É bem suspeito eu falar e isso porque nem tenho porque escrever já que o que ponho aqui é para os outros lerem e comentarem, mesmo quando discordarem de mim. Acontece que eu acho que a pessoa em questão, que vai saber que o recado é para ela, precisa saber o que eu penso já que quando vem comentar noto não só um jeito irritante, mas muitas expectativas que ela faz ao meu respeito que não condizem com a verdade.

Pois então meu caro, o problema não está comigo, mas no jeito que você tem para colocar suas opiniões. Já que você acha que a autocrítica é importante e faz bem, comece por você e procure se avaliar para quem sabe assim você notar em você tem um jeito pedante de se comunicar, no qual você coloca sua opinião como a única verdadeira e coloca as pessoas como menos preparadas para emitir a opinião delas, tomando em muitos casos concepções que não só são suas, mas que você acha que as pessoas têm necessariamente. Ah! Por fim, não adianta mudar de nome quando comentar aqui, preciso ser muito tapado para não perceber que é você quem escreve.

Aos demais... peixos, me liga.

9 comentários:

Paulo Braccini disse...

Querido Well, não preciso aqui reiterar minha profunda admiração por vc e por suas posturas ... mesmo qdo discordamos qdo é o presente caso ... As cartas estão postas e seja com PT&PMDB ou PSDB&DEMOCRATAS ou mesmo PV as coisas não vão mudar nada ...

A política brasileira está podre, os poucos comprometidos com o mínimo de ética e respeito à coisa pública não têm voz e nem força. A sociedade se cala e se omite nas coisas mais gritantes ... enfim ... o jogo já está decidido e que dias melhores possam ser os próximos 4 anos ...

peixos queridão ... vc faz diferença em Blogsville

;-)

Arsênico disse...

Penso exatamente igual a você... a diferença é que meu voto é da MARINA... inclusive fui do ódio ao amor... também pelo incidente ocorrido entre a candidata e boatos sobre a comunidade LGBT... o que depois percebi um ledo engano e passei a enxergá-la com outros olhos!!!

Se o Brasil mudará ou não... eu prefiro arriscar... Não adianta dizermos que nada mudará e continuar fazendo as mesmas escolhas... quero nesta eleição... fazer diferente...

***

umBeijo!


;D

Johannes disse...

Well, eu não usei nomes diferentes para você não saber quem estava escrevendo.
Apenas fiz isso por comodismo, conforme o nome do e-mail pelo qual registrei o comentário.
Não nego que sou um tanto pedante. Mas muita gente confunde pedantismo com firmeza de princípios, neste mundo onde muitos preferem relativizar tudo a serem coerentes com seus valores.
Eu confesso que revi alguns dos conceitos que expus a você. Mantive a maioria deles, mas consigo enxergar que, apesar da cúpula podre, o PT tem bons quadros (Marina para deputada federal e Pedro Wilson pra senador, e tá bom demais).
Venho aqui felicitá-lo por revisar suas ideias sobre Marina Silva. Ainda que eu tenha críticas a ela, pelo menos trata-se de uma pessoa com mais substância do que Dilma.
Você disse que manterá seu voto porque ele é para o partido e para o seu respectivo programa. Pois há coisas que o PT defende que eu discordo. E não é a propalada defesa da diversidade sexual que me fará ignorar meus pontos de discordância com esse partido, especialmente com o núcleo que vem blindando Dilma.
Essa é uma das coisas que me irrita muito: por representar a continuidade de Lula, para o bem e para o mal, ela vem sendo tratada como se toda crítica à sua conduta fosse uma tentativa de derrubar sua candidatura.
Em todo caso, só pelo fato de você ter caído um pouco na real sobre Dilma e ter repensado sua opinião sobre Marina Silva, já considero isso um sinal de maturidade da sua parte, para não falar em outras provas do quanto você melhorou em sua visão política.
Quanto ao PSDB, não nego que me decepcionei com o rumo da candidatura do Serra. Mas a base, ou seja, o partido a que ele pertence, menosprezou as defesas das minorias para não ficar parecido com o PT e hoje está numa campanha melancólica. Não sei se manterei meu voto no Serra depois de tanta trapalhada, mas o que Dilma é e as pessoas com as quais está envolvida me impedem de votar na sua pessoa. Marina é um caso interessante. Se é para haver segundo turno...
Saudações.

LUCECCY disse...

Que coisa mais fofa!Vc refazendo seus conceitos publicamente...Isso é lindo de se ver!!=)
Peixo

Débora Vaz Costa disse...

Eu tô quase na mesma que você, Well. Apesar de manter meu voto para Dilma, pelas mesmas razões que vc expôes, estou muito desencantada com os rumos que a campanha dela tem tomado. E olha que eu nunca tive essa paixão toda por ela. Quanto à Marina Silva, ainda não consegui engolir essa bondade toda dela para com a comunidade LGBT. Às vezes penso que é oportunismo por parte dela, uma vez que muita gente colorida vai votar nela, como a Adriana Calcanhotto, por exemplo.

Bom, é isso. Peixos me twitta.

FOXX disse...

isso é ser favorável?

"as crianças estão morrendo por ali, é melhor ficar com 'essas pessoas' do q morrerem na rua"?

isso é ser favorável?

S.A.M disse...

É, convenhamos que o modo como Marina se expressou é complicado.
Por mais que Dilma faça essa escolha, é uma questão de se eleger ou não. O processo é assim. E penso que o ela, será mais sensível a isso, pois sempre declarou isso. Inclusive é assim que o PT é visto entre os evangélicos: como que os que apóiam "aqueles". Que nesse caso somos nós.

Não se preocupe quanto a questão de falar de politica, tem gente que não sabe argumentar. Uma pena.

Abraço.

Guy Franco disse...

Eu só quero que liberem esse tal de casamento gay pra pararem de falar sobre isso. Pelo amor de Deus!

Mas depois que fizerem isso (e espero que façam mesmo), vou atrás de cada militante e obrigá-lo a casar na marra. Gente chata, né?

Marcio Nicolau disse...

Well

Acabo de chegar ao teu blog e parabenizo você pelo intenso debate de idéias que vejo ocorrer aqui. Teus posicionamentos são muito claramente expressos e as respostas dos teus leitores são enriquecedoras. O diálogo é franco e isso é um alento, sinal de que há vida inteligente nesse âmbito do diálogo virtual.

Com relação ao tema desta postagem, embora o primeiro turno já tenha excluído a candidata Marina, gostaria de manifestar a também a minha simpatia por esta candidata. Embora membro do partido verde e, agora, disputada por tucanos e petistas, acho que a grande contribuição da Marina são os posicionamentos irrestritos e o discurso que estimula a prática política não partidária. Marina me deu esperança, pois, com sua visão estratégica, mostrou que é possível ainda crer em um ideal de país inclusivo, que respeite a biodiversidade e produza as transformaçõe sociais almejadas. Um projeto para o futuro, que sobretudo, nos dá esperança de que haja mesmo um futuro.

Um abraço e parabéns mais uma vez.